Em Março de 1993 ocorreu um escorregamento de terras sobre o rio Paute na zona da estância de La Josefina, a cerca de 20 km da cidade de Cuenca. Cerca de 20 milhões de metros cúbicos de material ficaram depositados no leito do rio criando uma barragem natural.

As águas começaram a subir produzindo inundações a montante de La Josefina, constituindo uma grave ameaça para o resto do vale pelo perigo eminente de rutura da barragem natural. Dada a emergência da situação, as autoridades nacionais decidiram escavar um descarregador para regularizar, na medida do possível, o nível da albufeira e o volume de descarga.

Em finais de Abril, as águas atingiram a crista do descarregador e, no dia 1 de Maio, o caudal descarregado cresceu rapidamente tendo-se iniciado um processo de erosão regressiva, originando uma cheia de grandes proporções que atingiu um caudal máximo estimado em 8 000 m³/s. A cheia arrasou o vale a jusante, destruindo todas as pontes, desestabilizando grandes massas de terreno das encostas e alterando significativamente o leito. Admite-se que mais de 100 pessoas perderam a vida na fase de deslizamento, tendo os prejuízos materiais sido avaliados em cerca de 150 milhões de dólares (~ 1% PIB do Equador).
Dado que o escorregamento de La Josefina constitui um desastre natural de grande complexidade e, como tal, exige um tratamento multidisciplinar, a União Europeia contratou um consórcio de consultores, que incluiu a COBA, para prestar assistência técnica ao projeto.

O programa iniciou-se efetivamente em finais de 1996, sendo a COBA responsável pela assistência técnica no âmbito da estabilização das encostas, controle da erosão e na reconstrução de pontes. Neste âmbito, realizou-se o diagnóstico da estabilidade das encostas do vale do rio Paute e desenvolveu-se um estudo específico para a estabilização dos taludes de La Josefina bem como estudos semelhantes para outros grandes deslizamentos.

Em paralelo, a COBA analisou e acompanhou a realização dos estudos prévios e de execução e pontes, canais e pontes-canais, emitiu pareceres técnicos e procedeu ao estudo das obras de proteção de estradas. Realizou também o projeto da ponte definitiva de La Josefina, localizada a jusante da ponte provisória no pé do talude de Cerro Tamuga.